HIPERTENSÃO ARTERIAL DE DIFÍCIL CONTROLE

06 Jun 2018 05:51
Tags

Back to list of posts

<h1>HIPERTENS&Atilde;O ARTERIAL DE DIF&Iacute;CIL CONTROLE</h1>

i9academia_aula_de_sabado__pump.jpg

colastrina funciona

<p>A press&atilde;o alta de trabalhoso controle, tamb&eacute;m chamada de hipertens&atilde;o resistente, &eacute; aquela que n&atilde;o consegue ser controlada mesmo com m&uacute;ltiplos medicamentos anti-hipertensivos. Pacientes que permanecem com a press&atilde;o nas art&eacute;rias descontrolada de forma cr&ocirc;nica apresentam alto tra&ccedil;o de doen&ccedil;as cardiovasculares. Neste artigo vamos esclarecer as principais causas de hipertens&atilde;o arterial de dif&iacute;cil controle e quais s&atilde;o as estrat&eacute;gias que podem ser adotadas para minimizar a press&atilde;o arterial nesses pacientes.</p>

http://dict.leo.org/?search=perderpeso

<p>Pra saber mais a respeito da hipertens&atilde;o arterial sist&ecirc;mica, encontre o nosso arquivo de textos sobre isto: ARQUIVO DE HIPERTENS&Atilde;O ARTERIAL. Normotensos: pessoas com press&otilde;es arteriais pequenos ou aproximado a 120/oitenta mmHg. Pr&eacute;-hipertensos: pessoas com press&otilde;es arteriais entre 121/oitenta e um - 139/oitenta e nove mmHg. Hipertensos grau I : pessoas com press&otilde;es arteriais entre 140/noventa - 159/noventa e nove mmHg. &Eacute; a todo o momento bom sobressair que uma &uacute;nica medi&ccedil;&atilde;o n&atilde;o &eacute; bastante pra se estabelecer o diagn&oacute;stico de press&atilde;o alta.</p>

<p>O paciente para ser hipertenso tem que exibir n&iacute;veis press&oacute;ricos periodicamente acima dos 139/oitenta e nove mmHg. No nosso texto geral sobre isto hipertens&atilde;o arterial (primeiro link da lista acima) explicamos com mais detalhes o que &eacute; necess&aacute;rio para se combinar o diagn&oacute;stico de hipertens&atilde;o. Nem toda hipertens&atilde;o arterial n&atilde;o controlada &eacute; sin&ocirc;nimo de hipertens&atilde;o arterial resistente. Ter necessidade de de dois ou 3 rem&eacute;dios diferentes para controlar a press&atilde;o nas art&eacute;rias &eacute; qualquer coisa corriqueiro pela pr&aacute;tica m&eacute;dica.</p>

<ol>
<li>206 (208) | | |</li>
<li>1 folha de escarola</li>
<li>cinco - Tonifica&ccedil;&atilde;o muscular</li>
<li>3 fatias de peito de peru light</li>
<li>Beber meio litro de &aacute;gua 30 minutos antes de ingerir ajuda a perder peso</li>
<li>Ingerir &agrave; noite engorda</li>
<li>dois - DROP SET nos Aparelhos (Up the Stack)</li>
</ol>

<p>Definimos como hipertens&atilde;o resistente s&oacute; aquelas que n&atilde;o podem ser controladas com pelo menos tr&ecirc;s medicamentos anti-hipertensivos diferentes (de prefer&ecirc;ncia um deles sendo diur&eacute;tico). Ou melhor, todo paciente que precisa de quatro ou mais drogas diferentes pra fazer com que tua press&atilde;o arterial fique periodicamente abaixo de 140/90 mmHg &eacute; considerado como portador de press&atilde;o alta de custoso controle. Estima-se que em torno de quinze por cento dos pacientes hipertensos tenham crit&eacute;rios para press&atilde;o alta resistente. Cabe acentuar que &eacute; necess&aacute;rio que o paciente esteja de fato tomando os anti-hipertensivos prescritos pra caracterizarmos uma press&atilde;o alta como de dificultoso controle.</p>

<p>Se o paciente voluntariamente toma os rem&eacute;dios de forma falso, indo de encontro ao que foi prescrito, a press&atilde;o preservar-se-&aacute; alta, n&atilde;o porque ela seja resistente, por&eacute;m sim por causa de n&atilde;o est&aacute; sendo tratada corretamente. Do mesmo modo, no momento em que o tratamento oferecido pelo m&eacute;dico &eacute; insatisfat&oacute;rio, seja por doses insuficientes ou por escolha equivocada das drogas, a press&atilde;o arterial poder&aacute; manter-se descontrolada sem que ela seja realmente uma hipertens&atilde;o resistente.</p>

<p>A t&iacute;tulo de exemplo, a n&atilde;o prescri&ccedil;&atilde;o de uma diur&eacute;tico para esses pacientes &eacute; considerado uma falha da terap&ecirc;utica (leia: DIUR&Eacute;TICOS | Furosemida, Hidroclorotiazida, Indapamida…). Nestes casos, basta acertar o tratamento pra que a press&atilde;o possa ser controlada com menos de quatro drogas diferentes. Refer&ecirc;ncia: https://necessitae.com/colastrina/Alguns casos considerados como de dificultoso controle s&atilde;o na verdade pacientes com a chamada hipertens&atilde;o do jaleco branco (hipertens&atilde;o arterial da bata branca, em Portugal). S&atilde;o os pacientes que ficam t&atilde;o ansiosos ao longo da consulta m&eacute;dica, que tuas press&otilde;es arteriais, apesar de bem controladas em moradia, elevam-se no momento da aferi&ccedil;&atilde;o pelo m&eacute;dico, dando a falsa impress&atilde;o de n&atilde;o estarem devidamente controladas.</p>

<p>Geralmente as hipertens&otilde;es de trabalhoso controle s&atilde;o aquelas com n&iacute;veis press&oacute;ricos altos, classificadas como hipertens&atilde;o grau II. Duvidosamente uma press&atilde;o alta leve n&atilde;o consegue ser controlada com uma ou duas drogas diferentes. Novas caracter&iacute;sticas gen&eacute;ticas, alguns fatores ambientais e a presen&ccedil;a de umas doen&ccedil;as s&atilde;o capazes de dificultar controle da press&atilde;o nas art&eacute;rias, favorecendo o aparecimento da hipertens&atilde;o arterial resistente. Tabagismo (leia: MALEF&Iacute;CIOS DO CIGARRO | Tratamento do tabagismo).</p>

<p>Obesidade (leia: OBESIDADE | S&Iacute;NDROME METAB&Oacute;LICA). Consumo exagerado de sal. Consumo exagerado de alca&ccedil;uz. Consumo excessivo de &aacute;lcool (leia: EFEITOS DO &Aacute;LCOOL | Tratamento do alcoolismo). Consumo de coca&iacute;na (leia: COCA&Iacute;NA | CRACK | Efeitos e complica&ccedil;&otilde;es). Diabetes mellitus (leia: DIABETES MELLITUS | Diagn&oacute;stico e sintomas). Insufici&ecirc;ncia renal cr&ocirc;nica (leia: INSUFICI&Ecirc;NCIA RENAL CR&Ocirc;NICA | Sintomas e tratamento). Hipertrofia ventricular esquerda (acrescentamento do tamanho do ventr&iacute;culo esquerdo do cora&ccedil;&atilde;o, uma complica&ccedil;&atilde;o comum em quem tem press&atilde;o alta h&aacute; muito tempo). Al&eacute;m dos fatores descritos acima, o exerc&iacute;cio de certos tipos de medicamentos tamb&eacute;m pode interferir pela efici&ecirc;ncia dos anti-hipertensivos, fazendo com que tenhamos que acrescentar suas doses e/ou aliar mais drogas ao esquema de tratamento. Anti-inflamat&oacute;rios (leia: ANTI-INFLAMAT&Oacute;RIOS | A&ccedil;&atilde;o e efeitos nocivos).</p>

<p>Aspirina em doses acima de 500 mg por dia (leia: ASPIRINA | AAS | Indica&ccedil;&otilde;es e efeitos colaterais). Analg&eacute;sicos derivados da morfina. Corticoides (leia: PREDNISONA E CORTICOIDES | Indica&ccedil;&otilde;es e efeitos prejudiciais). Rem&eacute;dios &agrave; base de Ephedra ou Ma huang, muito usados em tratamentos ditos naturais pra perder peso (obs: a maioria dos rem&eacute;dios para perder peso, naturais ou n&atilde;o, cont&eacute;m subst&acirc;ncias que interferem na press&atilde;o arterial).</p>

<p>A imensa maioria dos casos de hipertens&atilde;o arterial &eacute; prim&aacute;ria, isto &eacute;, surge sem que haja uma circunst&acirc;ncia determinada. Isso significa que o paciente &eacute; hipertenso porque &eacute; hipertenso, n&atilde;o havendo nenhum pretexto identific&aacute;vel para o aparecimento da doen&ccedil;a. Toda press&atilde;o alta sem circunst&acirc;ncia aparente &eacute; chamada de hipertens&atilde;o arterial importante, sendo esta respons&aacute;vel por mais de 90 por cento dos casos. Contudo, numa minoria dos pacientes, a press&atilde;o alta poder&aacute; aparecer em consequ&ecirc;ncia a uma doen&ccedil;a oculta, sendo denominada dessa forma de press&atilde;o alta secund&aacute;ria.</p>

<p>Se a hipertens&atilde;o secund&aacute;ria &eacute; incomum dentre a popula&ccedil;&atilde;o com press&atilde;o alta, no momento em que separamos apenas aqueles com press&atilde;o alta de custoso controle, ela se torna uma raz&atilde;o relativamente comum. Insufici&ecirc;ncia renal cr&ocirc;nica (a IRC pode causar press&atilde;o alta contudo bem como pode ser uma consequ&ecirc;ncia da mesma). Hiperaldosteronismo (geralmente causado por um tumor benigno da gl&acirc;ndula supra-renal que produz aldosterona em excedente, horm&ocirc;nio que regula a absor&ccedil;&atilde;o de sal nos rins). Estenose da art&eacute;ria renal (diminui&ccedil;&atilde;o do calibre da art&eacute;ria que irriga o rim).</p>

Comments: 0

Add a New Comment

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License